Constança Cunha e Sá disse, esta terça-feira, que o encontro em Berlim entre o primeiro-ministro português e a chanceler alemã foi uma «encenação» para «fingir que tudo funciona democraticamente na Europa». Na TVI24, a comentadora referiu que Pedro Passos Coelho «não tem outro remédio» a não ser prestar-se a esse papel.

«É natural que a Sra. Merkel veja em Portugal um caso de sucesso, que finja que está a discutir com o primeiro-ministro a saída de Portugal. É evidente que não estão a discutir coisíssima nenhuma porque toda a gente já percebeu que a saída de Portugal vai ser decidida pela Alemanha», defendeu.

No espaço de análise nas «Notícias às 21:00», Constança Cunha e Sá criticou a atitude do PS que insiste em exigir ao Governo uma saída limpa do programa de ajustamento. Para a comentadora, «é curioso que seja Seguro a defender a posição de Angela Merkel».

No dia em que foi anunciada a morte do político e historiador José Medeiros Ferreira, Constança Cunha e Sá sublinhou que é um momento «triste para o país», que perde «uma pessoa de uma inteligência fulminante e de uma acutilância extraordinária». «Medeiros Ferreira nunca se acantonou», referiu.

VÍDEO: veja aqui o comentário de Constança Cunha e Sá na íntegra