O deputado do PSD Nuno Reis afirmou esta terça-feira que «tudo leva a crer» que a meta do défice orçamental de 4% para 2014 «será cumprida», segundo os critérios do sistema de contabilização anterior.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, o deputado manifestou, em nome da bancada do PSD, «tranquilidade relativamente aos números» do INE conhecidos esta terça-feria sobre o défice para 2014.

O deputado atribuiu a diferença de 4% para 4,8% ao facto de ter havido uma mudança no sistema europeu de contabilização do défice, sublinhando que há «mais de 268 entidades» que passaram, no novo sistema, a contar para o perímetro de consolidação orçamental.

«Mas na realidade, aquilo que era a meta a que o Governo português estava comprometido será naturalmente contabilizada no final do ano de acordo com o sistema de contabilização anterior», disse.

Para o deputado, «tudo leva a crer» que o défice chegará ao final do ano «na casa dos 4%».

Nuno Reis referia-se à estimativa do ministério das Finanças divulgada esta terça-feira que aponta para um défice orçamental de 4,8 do Produto Interno Bruto (PIB), percentagem apurada de acordo com o novo sistema europeu de contas.

O Orçamento do Estado para 2014 e os dois retificativos subsequentes, que foram feitos ainda ao abrigo do sistema europeu de contas antigo (SEC1995), previam que o défice orçamental atingisse os 4% no final do ano.