O líder parlamentar do PS, Alberto Martins, afirmou que o Orçamento do Estado (OE) para 2014 é uma «agressão» às funções sociais do Estado e «gravemente lesivo» para os portugueses, o que tem de ser limitado por via dos meios legais.

«Temos de lutar com todos os meios legais ao nosso alcance para que este Orçamento não produza os efeitos gravemente lesivos para o povo português que está eminente vir a produzir», declarou Alberto Martins aos jornalistas no Parlamento esta segunda-feira e que a Lusa cita.

O parlamentar socialista falava depois de uma reunião com uma delegação da central sindical UGT, que, chefiada pelo secretário-geral Carlos Silva, se encontrou com o PS durante cerca de uma hora.

Alberto Martins diz ter a «noção clara» de que «este é um orçamento irreformável», um documento «estruturalmente negativo para as pessoas, famílias e empresas».

A votação final global no Parlamento do OE para 2014 decorre na próxima semana, no dia 26.