O PS apelou esta quarta-feira ao ministro da Economia, António Pires de Lima, para «de uma vez por todas» marcar a reunião com o partido sobre as infraestruturas prioritárias e deixar-se do que os socialistas apelidam de «números».

«Devemos tratar estas matérias com responsabilidade e seriedade. O ministro que se deixe destes números, reestruture a sua agenda se tem problemas de agenda, e marque de uma vez por todas a reunião com o PS. É o apelo que lhe deixamos», disse o deputado Rui Paulo Figueiredo em declarações aos jornalistas no parlamento, noticia a Lusa.

Horas antes, o PS divulgou uma carta enviada a Pires de Lima, esta quarta-feira, em que considerava estarem «reunidas as condições mínimas» para o partido transmitir «o seu entendimento sobre os investimentos públicos» prioritários propostos pelo Governo, depois de o Executivo ter enviado «parte dos documentos solicitados» pelos socialistas.

«É importante que o diálogo não seja palavras vãs», declarou Rui Paulo Figueiredo. O deputado acrescentou que o PS está disponível para se sentar com o Governo «na quinta-feira, sexta-feira, sábado, domingo», ou quando necessário de acordo com a agenda do ministro da Economia.

«Sempre dissemos que estávamos disponíveis logo que o Governo nos desse a documentação», lembrou. Rui Paulo Figueiredo lamentou que só tenha chegado «parte» dos documentos pedidos pelo maior partido da oposição.

O relatório pedido pelo Governo, e elaborado por um grupo de trabalho que definiu um total de 30 projetos prioritários até 2020, aponta os portos e a ferrovia como prioridades para o investimento em obras públicas até 2020.

O documento refere que o financiamento prioritário deve provir de fundos comunitários (3.132 milhões de euros), do Estado (que ficaria responsável por 1.428,1 milhões de euros) e só uma pequena parte (543,6 milhões) deve ser adjudicada ao setor privado, num investimento global de 5.103,8 milhões de euros.