O vice-primeiro-ministro e líder do CDS-PP, Paulo Portas, lembrou hoje «o talento de gigante» e a atitude «simples e jovial» de Eusébio, «um dos portugueses mais internacionais de sempre».

«Eusébio foi, no coração dos portugueses, o maior herói popular do século XX e foi um dos portugueses mais internacionais de sempre», refere Paulo Portas numa nota enviada à comunicação social a propósito da morte do antigo futebolista.

Assinalando que ainda hoje a associação entre o nome de Eusébio e Portugal é muito frequente nos quatro cantos do mundo, Paulo Portas recorda as alegrias que o antigo futebolista deu a todos os portugueses nos seus «jogos memoráveis».

«Eusébio diz muito a todos seja qual for o clube ou a geração. Acresce que Eusébio tinha um talento de gigante mas uma atitude simples e jovial e também será recordado por isso», acrescenta ainda o vice-primeiro ministro e líder democrata-cristão.

Eusébio da Silva Ferreira morreu hoje às 04:30 vítima de paragem cardiorrespiratória.

O «Pantera Negra» foi eleito o melhor jogador do Mundo em 1965 e conquistou duas Botas de Ouro (1967/68 e 1972/73). No Mundial Inglaterra de 1966 foi considerado o melhor jogador da competição, na qual foi o melhor marcador, com nove golos.

Eusébio nasceu a 25 de janeiro de 1942 em Lourenço Marques (atual Maputo), em Moçambique.

O funeral do antigo jogador realiza-se na segunda-feira às 17:00 no cemitério do Lumiar.