O CDS-PP recordou Almeida Santos como um Presidente da Assembleia "respeitado pelos seus pares" e que sempre respeitou, independentemente das diferenças políticas, todos os grupos parlamentares.

"O Dr. Almeida Santos será recordado como um Presidente da Assembleia da República que foi respeitado pelos seus pares. E independentemente das diferenças políticas claras, sempre lidou com grande cordialidade e respeito todos os Grupos Parlamentares", refere o CDS-PP, numa nota à imprensa.


Na nota, o CDS-PP apresenta à família de Almeida Santos, amigos e ao PS as condolências do partido.

"O Dr. Almeida Santos tinha uma preocupação cuidada com a escrita política, uma inteligência por todos reconhecida e lutou com ânimo pelas suas convicções", acrescenta o texto.

Almeida Santos morreu segunda-feira à noite em sua casa, em Oeiras, pouco antes da meia-noite.

O presidente honorário do Partido Socialista sentiu-se mal após o jantar e foi ainda assistido ainda na sua residência.

Almeida Santos, que completaria 90 anos a 15 de fevereiro, foi submetido por duas vezes a cirurgias cardiovasculares.

O corpo do fundador do PS estará em câmara ardente na Basílica da Estrela, em Lisboa, a partir das 17:00 de hoje, mas não haverá cerimónia religiosa, a pedido do próprio.

O corpo de Almeida Santos será cremado na quarta-feira, às 13:00, no cemitério do Alto de São João.