O Ministro da Educação e da Ciência deixou esta sexta-feira a garantia de que está tudo a postos para o início do ano letivo, este ano com a tranquilidade que não se verificou em 2014.

"Eu repito, eu vou ser claro: da parte do Ministério está tudo preparado para que, dia 15, início de abertura do período do ano, tenhamos uma tranquila abertura das atividades letivas"


Chamado à comissão parlamentar de Educação pelo PCP, para esclarecer o adiamento, em uma semana, do início das aulas, Nuno Crato voltou a insistir que essa alteração de calendário acontece para encetar um "maior equilíbrio" entre os dias e as semanas dos três períodos letivos. E não por qualquer outro motivo ou para evitar os atrasos que se verificaram em 2014.

"​Desde que entrámos em funções [em 2011], invariavelmente mais de 99% dos agrupamentos escolares abriram no tempo previsto. A bolsa de contratação de escola [onde houve problemas em 2014], que é um mecanismo de autonomia, representa menos de 0,8% dos cerca de 110 mil professores", notou ainda o governante.

Este ano, o seu ministério quis jogar pelo seguro: "Antecipámos os mecanismos de colocação de professores, foram já realizados os concursos internos e externos".

"A divulgação das listas definitivas é antecipada relativamente a todos os concursos quadrienais anteriores e teremos os professores colocados em setembro"

Recorde-se que, no final de junho, a Fenprof alertou para irregularidades nos concursos

Mas, pelo que diz o ministro, depreende-se que alunos, famílias e docentes podem ir de férias descansados.