O Partido Socialista Europeu (PSE) considerou “essencial para o bem da democracia” que o Presidente da República portuguesa dê um mandato ao PS para formar Governo, apoiado pelos partidos de esquerda no parlamento.

Numa declaração adotada na quinta-feira e divulgada esta sexta-feira, no dia em que o Presidente português, Aníbal Cavaco Silva, recebe os sete partidos com assento parlamentar, no quadro das consultas que está a efetuar após a queda do Governo PSD/CDS-PP, a presidência do Partido Socialista Europeu, a segunda maior família política europeia, à qual pertence o PS, manifesta o seu apoio a “um Governo de esquerda em Portugal”.

O PES aponta que, “nas eleições legislativas de 04 de outubro passado, uma maioria de 60% dos votantes escolheu os partidos de esquerda”, mas, “ainda assim, o Presidente português, Cavaco Silva, decidiu dar à coligação conservadora minoritária o direito de formar Governo a 30 de outubro”, tendo o seu programa sido rejeitado na Assembleia da República a 10 de novembro, o que implicou a queda do executivo.

“A presidência do PES acredita que após quatro anos de austeridade” e de muitos sacrifícios dos cidadãos, “chegou agora a altura de ter um Governo progressista” em Portugal, e, como tal, “considera essencial para o bem da democracia escutar a voz do povo e dar um mandato ao Partido Socialista e a António Costa – apoiado pelos partidos de esquerda no parlamento (Bloco de Esquerda e PCP)– para formar um Governo que possa proporcionar crescimento, estabilidade e um futuro mais próspero a Portugal”.

“Este é um momento histórico para Portugal”, conclui a declaração adotada pela presidência do Partido Socialista Europeu, citada pela Lusa.