O cabeça de lista por Lisboa do Nós, Cidadãos!, Mendo Henriques, afirmou hoje, durante uma iniciativa de contacto com a população de Lisboa, que o partido mantém o objetivo de formar um grupo parlamentar na próxima legislatura.

“Mantemos o nosso objetivo de ter um grupo parlamentar”, afirmou o cabeça de lista por Lisboa, em declarações à agência Lusa durante uma iniciativa de contacto com a população na zona de Campo de Ourique, em Lisboa.

Mendo Henriques acrescentou também que, apesar de ser um partido recente (legalizado em junho), o Nós, Cidadãos! está a “conquistar a sua marca”.
 

“Nós nascemos há três meses e vamos deixar a nossa marca no dia 04 de outubro, continuamos com expectativas em círculos como os Açores, Fora de Europa, Lisboa, Setúbal e Porto”


Pelas arruadas realizadas durante o período de campanha eleitoral, Mendo Henriques realçou que percebeu que “o que dizem as sondagens não corresponde ao que se ouve nas ruas”.

“Nas ruas há uma rejeição generalizada das políticas da coligação de Passos e Portas, há uma expectativa positiva de um grupo de pessoas com quem falámos de que, talvez, partidos pequenos, como o nosso, façam a diferença”, considerou o dirigente.

Durante a manhã, a comitiva de candidatos do Nós, Cidadãos! percorreu as ruas de Campo de Ourique, dirigindo-se às pessoas com um jogo de palavras que incluíam a expressão “coelho à caçador” como referência a uma alternativa ao Governo de Pedro Passos Coelho.

“Quando o ‘Nós’ se afirma não faz uma campanha ‘terceiromundista’ de trazer crucifixos para lares de idosos ou dar tiros nos pés, como noutras campanhas”, criticou Mendo Henriques, acrescentando que o seu partido não faz promessas porque não está em condições de o fazer.

Em vez de promessas, o candidato afirmou que fazem “propostas que são de facto diferentes, no campo da Segurança Social, da reestruturação do sobre-endividamento e da exigência de nova legislação para pôr fim à promiscuidade entre política e negócios”.

Das pessoas, a comitiva ouviu pedidos de para que “tirem força à direita”, e “é para mudar mesmo”, entre diversas críticas à coligação PSD/CDS-PP.

“No 05 de outubro”, vincou o candidato, “estaremos a fazer crescer o Nós, Cidadãos! com a adesão de pessoas e movimentos”.

O cabeça de lista por Lisboa deixou ainda o repto que irá transmitir no encerramento da campanha, que decorrerá em Lisboa: “ Não tenha medo, têm o Mendo”.