O primeiro-ministro português enviou, esta segunda-feira, uma mensagem de confiança ao portugueses que se encontram no território da Guiné Bissau, depois de durante a madrugada o Presidente Nino Vieira ter sido assassinado num ataque à sua residência.

VEJA O VÍDEO

«O Governo português está firmemente disponível para ajudar as autoridades políticas e militares» guineenses a manter a ordem. Em declarações em São Bento, José Sócrates diz que «o Governo acompanha com detalhe e com proximidade» a situação dos residentes portugueses na Guiné. O primeiro-ministro adiantou ainda que «até ao momento ninguém foi afectado» e que o Governo português «tudo fará para ajudar», acompanhando a situação «minuto a minuto».

Num discurso que apela à calma, Sócrates pede ainda que «reajam com serenidade e tranquilidade» face à instabilidade que e vive após o incidente. «O Governo português está firmemente disponível para ajudar as autoridades políticas e militares nas tarefas que têm pela frente para que a ordem constitucional seja respeitada na Guiné-Bissau», reforçou.

«Quero também, em meu nome pessoal e em nome do Governo português, dirigir uma mensagem de sentidas condolências ao presidente da Assembleia Nacional, ao primeiro-ministro e ao povo da Guiné-Bissau», acrescentou.

José Sócrates anunciou também que Portugal vai propor na reunião extraordinária da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) desta tarde que uma delegação da CPLP visite rapidamente a Guiné-Bissau.