O antigo presidente da Assembleia da República Vítor Crespo morreu esta terça-feira, disse fonte da família à agência Lusa.

Vítor Pereira Crespo, eleito pelo PSD, foi presidente do Parlamento na 5.ª legislatura, entre 1987 e 1991.

A família do ex-presidente da Assembleia da República ainda não tomou qualquer decisão relativamente às cerimónias fúnebres.

A primeira manifestação de condolências partiu da presidente da Assembleia da República.

Assunção Esteves divulgou uma mensagem de condolências em que «lamenta profundamente a morte do Professor Doutor Vítor Crespo», classificando-o como «cidadão ativo sempre presente» e considerando “uma honra vê-lo incluído na história dos Presidentes da Assembleia da República”. 

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, lamentou, também, a morte do ex-presidente da Assembleia da República, que classificou de «figura de grande relevo» que enriqueceu a vida do país e deixou um «legado de invulgar dimensão».

«Nesta hora de pesar, o primeiro-ministro evoca a memória de uma figura de grande relevo, que dedicou a sua vida ao serviço público, quer através de uma ilustre carreira académica, quer com uma profícua atividade política que o levou a ocupar lugares de destaque, como militante e dirigente do PSD, deputado e presidente da Assembleia da República, e ministro responsável pela área da Educação e Ciência em três Governos Constitucionais», refere a mensagem enviada à Lusa pelo gabinete do chefe do executivo.

«O primeiro-Ministro presta assim homenagem a um português que em muito contribuiu para o enriquecimento da vida do nosso País e que nos deixa um legado de invulgar dimensão», conclui Passos Coelho.

Também o PSD lamentou a morte do ex-presidente da Assembleia da República, numa mensagem em que destaca o contributo dado pelo ex-deputado social-democrata nas várias funções públicas que exerceu.

«Tendo tomado conhecimento do falecimento do Sr. Professor Vítor Crespo, o Partido Social Democrata lamenta profundamente seu desaparecimento. O PSD realça neste momento de tristeza o contributo dado pelo Professor Vítor Crespo para a vida pública portuguesa através do desempenho de várias funções públicas», nomeadamente como presidente do parlamento, refere a nota dos sociais-democratas.

Vitor Crespo, formado em Ciências Físico-Químicas, e catedrático da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, foi eleito deputado pelo PSD pela primeira vez em 1979.

Na nota biográfica disponível no sítio do Parlamento na internet, adianta-se que até 1988 foi vice-presidente do PSD.

Entre os vários cargos públicos que ocupou estão os de embaixador e representante permanente de Portugal junto da UNESCO, em Paris, em 1984 e 1985, e ministro da Educação e Ciência (6.º e 7.º governos constitucionais) e da Educação e das Universidades, no 8.º governo constitucional.