Centenas de pessoas estão a prestar uma última homenagem a Maria Barroso, antiga atriz e uma das fundadoras do PS, cujo corpo está em câmara ardente no Colégio Moderno, em Lisboa, instituição que dirigiu durante muitos anos.

Maria de Jesus Barroso morreu esta terça-feira, aos 90 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internada em estado grave desde 26 de junho, após uma queda.

O corpo foi esta tarde levado, cerca das 17:00, para o Colégio, com as bandeiras a meia haste, e era aguardado nomeadamente por familiares. Mário Soares, antigo Presidente da República e marido de Maria Barroso, chegou cerca das 17:30.

Com o velório marcado para as 18:00, as portas do Colégio abriram um pouco antes, mas cerca das 20:00 tinha muitos metros a fila de pessoas que aguardavam vez para chegar junto da urna.

Sem esperas na fila, as figuras mais conhecidas, muitas da política mas também das artes, entraram diretamente, algumas demorando poucos minutos, outras mais tempo dentro do Colégio, onde os jornalistas não entraram por pedido da família.

Mas entraram muitos outros, nas primeiras duas horas, de Freitas do Amaral a Almeida Santos, de Guilherme d'Oliveira Martins a Carlos Monjardino, de Jorge Sampaio a Adriano Moreira e Maria Cavaco Silva.

Também estiveram presentes atores e atrizes, o secretário de Estado da Cultura, a presidente do Parlamento, a procuradora-geral da República e o presidente do Tribunal Constitucional.

Num ambiente solene e de silêncio, a rua do Colégio encheu-se de carros de onde saíram familiares, mas sobretudo amigos e também muitas flores, dezenas de arranjos.

O corpo de Maria Barroso ficará em câmara ardente no Colégio até quarta-feira, realizando-se o funeral a partir das 11:00, com a missa que antecede a partida para o cemitério dos Prazeres, também em Lisboa.