O primeiro-ministro lamentou esta quinta-feira a morte de José Silva Lopes, salientando que o economista dedicou a vida a Portugal, servindo com «isenção», «dignidade e integridade nos mais destacados cargos», da Administração Pública, da banca e da política.

«O Dr. Silva Lopes pautou sempre a sua intervenção pela isenção e correção nas inúmeras atividades profissionais e cívicas a que esteve ligado ao longo de muitos anos»


Numa nota, Passos Coelho refere ter recebido «com profunda tristeza» a notícia do falecimento de Silva Lopes, aos 82 anos. Descreve-o como «um homem com enorme prestígio na economia e finanças».

O chefe do Governo destaca também que Silva Lopes foi «agraciado pelas mais altas condecorações do país, em reconhecimento” da sua dedicação e do “relevante testemunho e do exemplo» que deixou.

«À família enlutada e aos seus amigos, dirijo as minhas mais sentidas condolências», acrescenta.