O novo chefe de diplomacia, Rui Machete, vai ser o primeiro dos novos ministros do Governo PSD/CDS-PP a «estrear-se» no plano europeu, numa reunião informal de ministros dos Negócios Estrangeiros agendada para 06 e 07 de setembro, em Vilnius.

Os dois outros novos ministros que passam a integrar o Governo, no quadro da remodelação proposta pelo primeiro-ministro e já aceite na terça-feira pelo Presidente da República, Pires de Lima (Economia) e Moreira da Silva (Ambiente, Ordenamento do Território e Energia), também têm a sua «estreia europeia» agendada para setembro.

Moreira da Silva deverá estrear-se igualmente na Lituânia ¿ país que assegura no segundo semestre do ano a presidência rotativa da UE, acolhendo como tal os encontros ministeriais informais -, num Conselho informal de Energia a 19 e 20 de setembro, e, na semana seguinte, deverá ser a vez de Pires de Lima se «apresentar» aos seus homólogos europeus, num Conselho de Competitividade, em Bruxelas, dias 26 e 27.

A primeira «cara nova» do XIX Governo Constitucional a participar numa reunião da UE será então Rui Machete, no encontro informal de chefes de diplomacia europeus que marca a «rentrée» política europeia, conhecido como «Gymnich», nome de um castelo na Alemanha que acolheu a primeira reunião do género.

Aos 73 anos, Rui Machete, advogado e militante histórico do Partido Social Democrata (PSD), regressa à prática governativa após um interregno de quase trinta anos, ao ter sido o escolhido para suceder à frente dos Negócios Estrangeiros a Paulo Portas, que subiu a vice-primeiro-ministro.

No quadro da remodelação levada a cabo, Passos Coelho ainda retirou Álvaro Santos Pereira de ministro da Economia, substituindo-o pelo dirigente centrista António Pires de Lima, e colocou o atual coordenador da direção nacional do PSD, Jorge Moreira da Silva, à frente de uma nova pasta do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia.

A ministra Assunção Cristas perderá a tutela do Ordenamento do Território e do Ambiente, ficando apenas ministra da Agricultura e do Mar. Em sentido contrário, o também centrista Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade e Segurança Social, ficará responsável pelo Emprego, até agora integrado na Economia.

A anterior mudança do elenco governativo aconteceu a 02 de julho, quando Maria Luís Albuquerque, até então secretária de Estado do Tesouro, tomou posse como ministra de Estado e das Finanças, em substituição de Vítor Gaspar, que se tinha demitido no dia anterior.

Maria Luís Albuquerque, que já era presença habitual em Bruxelas ao lado de Vítor Gaspar, estreou-se como ministra numa reunião de responsáveis das Finanças da zona euro (Eurogrupo), a 08 de julho passado, tendo o próximo encontro agendado para 13 e 14 de setembro, em Vilnius (reunião informal de ministros das Finanças da UE).