O dirigente socialista Álvaro Beleza disse, esta quinta-feira, que o partido vai chamar ao Parlamento o ministro da Saúde, Paulo Macedo, para esclarecer os portugueses sobre os problemas no setor.

«Achamos que há problemas a mais que têm de ser respondidos de forma clara e esclarecedora aos portugueses. O local próprio é o Parlamento», anunciou Beleza, membro do secretariado nacional do PS, em conferência de imprensa na sede do partido, em Lisboa.

O socialista disse que falou esta manhã com a direção do grupo parlamentar do partido, e transmitiu aos jornalistas que «nos próximos dias» será efetuado o pedido de audição do ministro com a pasta da Saúde.

Álvaro Beleza falava no dia em que o Diário de Noticias reporta uma situação envolvendo um doente das Caldas da Rainha que viria a morrer em Abrantes depois de recusado em vários hospitais.

«Os doentes não podem ficar à porta dos hospitais e do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Ainda hoje tivemos mais uma notícia má sobre a desorganização do SNS, que está a rebentar pelas costuras, depois de políticas de austeridade autenticamente abruptas», assinalou o dirigente do PS.

O secretário nacional do PS disse também que Portugal gasta 4,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em saúde, «abaixo da média europeia e abaixo da OCDE». «Não temos no SNS um problema de gastos exagerados, bem pelo contrário», ressalvou Álvaro Beleza.

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) disse que vai abrir um processo de investigação ao caso do doente operado no Hospital das Caldas e que foi depois recusado por quatro unidades hospitalares por falta de camas, segundo fonte oficial.

O PS frisa, contudo, que o IGAS «não pode estar a fazer tudo» e não é a entidade a responsável «pelas políticas de saúde e pelos problemas que acontecem na saúde».