Portugal vai abrir uma embaixada em Astana, no Cazaquistão. O anúncio foi feito esta quarta-feira pelo ministro dos Negócios Estrangeiros. Rui Machete adiantou ainda que será criado um consulado em Cantão (China) e que o apoio consular vai ser reforçado em 16 cidades com «forte presença da comunidade portuguesa». São elas Londres, Hamburgo, Estugarda, Genebra, Paris, São Paulo, Rio de Janeiro, Caracas e Valência (Venezuela), São Francisco e Montreal, Macau, Díli e ainda Luanda, Benguela e Maputo. Tudo durante o próximo ano.

«Em 2015, apostaremos na estabilização da rede diplomática e consular e avaliaremos o interesse em promover a presença em países que, por razões diversas, assumem uma importância acrescida no quadro das nossas relações internacionais, tendo sempre presente o objetivo de reforçar o alcance e a eficiência da rede externa», disse o governante, citado pela Lusa, durante a audição conjunta das comissões parlamentares de Negócios Estrangeiros e de Finanças, a propósito da proposta do Governo sobre o Orçamento do Estado.

Segundo o ministro, a decisão de instalar a embaixada no Cazaquistão e o consulado na cidade chinesa de Cantão reconhece «a importância da Ásia».

Por outro lado, Rui Machete admitiu a existência de «alguns problemas que ainda subsistem» em postos consulares e anunciou «medidas que deverão contribuir para melhorar o apoio consular, nomeadamente por via da diversificação e aumento da área de cobertura das permanências consulares, e de novos modelos de atendimento consular em zonas que registam forte presença da comunidade portuguesa». As tais 16 cidades.

«De igual forma, apostaremos na melhoria dos mecanismos de apoio social às comunidades mais necessitadas, assim como no reforço da ação dos nossos centros culturais no estrangeiro, particularmente nos países lusófonos e onde se regista uma maior concentração de cidadãos portugueses».