Depois do PSD ter convocado o ministro das Finanças, Mário Centeno, para ser ouvido na comissão de Inquérito sobre o caso Banif, e do CDS anunciar que quer chamar ao parlamento o governador do Banco de Portugal e o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE) Vítor Constâncio para esclarecerem os últimos desenvolvimentos relativos ao caso, os coordenadores dos partidos reúnem-se de emergência para agendar as três audições.

A decisão surge depois dos ataques do Governo ao governador do Banco de Portugal e do PSD a Mário Centeno.

O Governo acusou o Banco de Portugal de ter cometido uma “falha de informação grave”, por ter omitido que pediu ao BCE para limitar o financiamento do Eurosistema ao Banif.

Na quinta-feira à noite, depois de o Jornal de Negócios ter noticiado as restrições ao financiamento do Banif, o BdP realçou que a proposta que levou ao BCE relativa à limitação do acesso às operações de política monetária do Eurosistema era a "menos gravosa" para o Banif.

A medida proposta pelo Banco de Portugal era a menos gravosa do quadro de medidas discricionárias ao dispor do Eurosistema (limitação, suspensão ou exclusão do acesso às operações de política monetária do Eurosistema)", referiu um comunicado emitido pelo supervisor bancário.

O comunicado surgiu depois de ter sido noticiado que as restrições impostas pelo BCE ao Banif foram propostas pelo Banco de Portugal, depois de ter tido acesso à minuta da 417.ª reunião do Conselho de Governadores do BCE.

Na nota de esclarecimento, o BdP realçou que a medida que sugeriu ao BCE "não requeria reembolso de fundos do Eurosistema" e que, "em termos práticos, não tinha impacto no montante de liquidez que a instituição poderia obter no âmbito das operações de política monetária".