O ministro da Economia, António Pires de Lima, disse esperar que as questões regulamentares que levaram à suspensão da atribuição dos vistos gold sejam resolvidas para que "este programa possa recuperar a intensidade".

O ministro da Economia, António Pires de Lima, está a ser ouvido esta quarta-feira na comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas sobre a privatização da TAP, na sequência de um requerimento apresentado pelo Partido Socialista (PS), e para debater a política geral do ministério e outros assuntos de atualidade.

O governante está a ser ouvido há quase cinco horas, na última audição regimental desta legislatura, que arrancou cerca das 10:23.

A atribuição dos vistos gold, também conhecidos como dourados, está suspensa desde 1 de julho e só será retomada com a publicação do "diploma regulador" da Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI), segundo fonte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Questionado sobre o assunto, António Pires de Lima afirmou que, "de facto, não é positivo que tenham surgido questões, dúvidas e processos" relativamente à atribuição dos vistos dourados, uma vez que este é "o programa mais bem sucedido de vistos de investimento imobiliário".

"Esperamos muito francamente que do ponto de vista regulamentar" fiquem "resolvidas as questões, para que este programa possa recuperar a intensidade que tinha e teve durante os anos de 2013 e 2014", como reporta a Lusa. 

Este programa "foi realmente importante para reativar o mercado imobiliário", frisou Pires de Lima.


Entretanto, o Sindicato dos Funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SINSEF) exigiu hoje um esclarecimento público do diretor nacional do SEF sobre notícias que indicam uma diminuição drástica de concessão dos chamados vistos 'gold'.