O PSD atualizou este sábado o comunicado assinado pela social-democrata Maria Luís Albuquerque, para especificar que a ministra das Finanças em exercício não transmitiu ao PS informações "passíveis de gerar alarme público" sobre a TAP ou o Banif.

Cerca de duas horas após a divulgação de um comunicado no qual Maria Luís Albuquerque respondia à acusação feita pelo secretário-geral do PS de que o Governo cessante está a "omitir e esconder do país dados sobre a situação efetiva e real" em que se encontra Portugal, o PSD divulgou uma segunda nota.

"Na sequência do comunicado hoje emitido, enviamos nota de atualização, uma vez que por lapso não se transcreveu na nota emitida pelo PSD parte do texto original", justificou o gabinete de imprensa dos sociais-democratas, pedindo "a melhor atenção" para "a presente atualização que agora inclui o texto integral enviado pela doutora Maria Luís Albuquerque".

O novo texto enviado é quase todo igual ao anterior, com exceção do último parágrafo, no qual se refere que na reunião de Maria Luís Albuquerque com o coordenador do cenário macroeconómico do PS, Mário Centeno, não foram "suscitadas quaisquer preocupações ou informações sobre temas que não sejam do conhecimento público".

A seguir a esta frase, foi especificado: "Como é o caso do processo de privatização da TAP ou a investigação aprofundada sobre o Banif iniciada pela Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia".

No mesmo parágrafo lê-se também que não foram transmitidas "preocupações ou informações" que sejam" passíveis de gerar alarme sobre a situação atual e perspetivas futuras do país", e agora foi acrescentando: "Quer no que respeita ao estado das finanças públicas, quer à situação macroeconómica ou ainda ao sistema financeiro"