A ministra portuguesa da Justiça considerou que «não foi um momento alto» a afirmação do presidente da Comissão Europeia, de que a troika «pecou contra a dignidade» dos portugueses, gregos e irlandeses.

«Não foi um momento alto», disse a ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, observando que a «dignidade tem-se» e que «os portugueses têm dignidade».

A ministra falava num encontro, em Lisboa, promovido pela Fundação Luso-Americana (FLAD), destinado a reforçar o diálogo bilateral entre Portugal e os Estados Unidos.

Na quarta-feira, o luxemburguês Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, anterior presidente do Eurogrupo, afirmou que a troika «pecou contra a dignidade» de portugueses, gregos e também irlandeses, reiterando que é preciso rever o modelo e não repetir os mesmos erros.

A ministra aproveitou para lembrar que, na área da justiça, o Governo «revisitou todo o memorando» da troika, porque entendeu que ele «não respondia às necessidades» que Portugal tinha, acrescentando que esse trabalho suplementar foi feito, «com tranquilidade».

Confrontada com as afirmações do líder do PS, de que o Governo português deveria tirar ilações do que foi dito por Juncker, a governante disse preferir esperar para ver quais «são as consequências e os atos» que sairão do Eurogrupo.