O ex-ministro adjunto Miguel Relvas entrou hoje na primeira reunião do novo Conselho Nacional do PSD pelas 21:20, escusando-se a prestar declarações aos jornalistas.

Há uma semana, no XXXV Congresso do PSD, Miguel Relvas foi escolhido pelo presidente do partido, Pedro Passos Coelho, para encabeçar a sua lista ao Conselho Nacional, regressando assim ao órgão máximo dos sociais-democratas entre congressos.

Miguel Relvas foi o «braço direito» de Pedro Passos Coelho nas suas candidaturas à liderança do PSD, em 2008 e 2010, a segunda das quais vitoriosa, assumindo em seguida o cargo de secretário-geral e porta-voz da direção nacional dos sociais-democratas.

Na sequência das legislativas de 5 de junho de 2011, ocupou o cargo de ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares, responsável pela coordenação política do executivo e pela reforma da Administração Local e com a tutela da comunicação social, o que o levou a sair dos órgãos nacionais do PSD.

Durante a sua passagem pelo Governo, esteve envolvido em diversas polémicas, uma das quais relacionada com a sua licenciatura. A 4 abril de 2013, demitiu-se do cargo de ministro-adjunto, invocando falta de «condições anímicas» para continuar nessas funções.