O ministro da Administração Interna vai fazer uma declaração sobre a investigação ao caso dos vistos gold. Miguel Macedo falará às 19:30 e irá anunciar a sua demissão, apurou a TVI.

Recorde-se que o ministro tinha colocado o lugar à disposição do primeiro-ministro, na sequência da investigação, mas Passos Coelho travou a sua saída.

A Procuradoria-Geral da República esclareceu, em comunicado, que as buscas não visaram membros do Governo. Mas a ligação pessoal a alguns dos detidos e suspeitos incomoda Miguel Macedo.

Albertina Gonçalves, secretária-geral do ministério do Ambiente, cujo escritório foi alvo de buscas, é sócia do ministro num escritório de advogados. Foi constituída arguida. António Figueiredo, presidente do Instituto de Registos e Notariado, é seu amigo. 

A investigação levou à detenção,  também, do diretor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, que está dependente do ministério que Miguel Macedo tutela. 

As inquirições aos arguidos do processo continuam este domingo, no Campus da Justiça. No sábado, durante 12 horas, foram ouvidas três pessoas: precisamente o diretor do SEF, Manuel Palos, que está, soube-se este domingo, formalmente acusado de dois crimes de corrupção passiva; bem como dois cidadãos chineses.

Tudo começou na quinta-feira, no âmbito da investigação à atribuição de vistos dourados em Portugal, com a PJ a realizar várias detenções e 60 buscas por todo o país. Só no final de todas as audições é que os arguidos vão conhecer as medidas de coação que lhes serão aplicadas.