O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, destacou esta segunda-feira a «humildade, simpatia e acessibilidade» de Eusébio da Silva Ferreira, aquele que é uma das «maiores figuras de Portugal no domínio do desporto».

«Tive ainda a possibilidade de o conhecer e de ter estado com ele uma mão cheia de vezes. Pude comprovar a sua humildade, simpatia a acessibilidade. Era uma pessoa de um trato absolutamente excecional, além do futebolista de eleição que foi. Foi um nome conhecido em termos planetários numa altura que não havia a mediatização que há agora», afirmou Miguel Macedo em declarações à Benfica TV.

Eusébio da Silva Ferreira morreu no domingo, às 03:30, vítima de paragem cardiorrespiratória.

O «Pantera Negra» ganhou a Bola de Ouro em 1965 e conquistou duas Botas de Ouro (1967/68 e 1972/73). No Mundial de Inglaterra, em 1966, foi considerado o melhor jogador e foi o melhor marcador, com nove golos, levando Portugal ao terceiro lugar.

Eusébio nasceu a 25 de janeiro de 1942 em Lourenço Marques (atual Maputo), em Moçambique.

O corpo do antigo jogador de futebol Eusébio está em câmara ardente no Estádio da Luz, porta 1 (acesso pela porta 11), desde as 17:30 de domingo, com a missa a realizar-se hoje, às 16:00, na Igreja do Seminário no Largo da Luz, após o que o corpo segue para o cemitério do Lumiar, onde o funeral se realiza às 17:00.