O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, disse este domingo que Portugal precisa de uma "maioria confortável" que permita governar o país com "estabilidade".

Miguel Albuquerque fez esta observação depois de ter votado esta manhã para as eleições legislativas nacionais que ditarão a constituição de um a nova composição na Assembleia da República e o Governo da República para os próximos quatro anos.

O presidente do executivo da Madeira manifestou a confiança que as pessoas irão afluir ao longo do dia às urnas e votar apesar das condições meteorológicas apontarem para períodos de chuva ou aguaceiros por vezes fortes porque "está em causa questões muito importantes para o país".

"Eu espero que a coligação obtenha uma maioria confortável que permita governar o país, com estabilidade e com confiança, para prosseguirmos este ciclo de recuperação económica e social".


Por isso, considerou que "aquilo que o país precisa é de estabilidade e recuperação económico e social e, para a Região Autónoma da Madeira, é fundamental ter um Governo estável que permita manter as pontes de diálogo e compromisso que, neste momento, a Região mantém com este Governo que cessa, agora, funções".

Para Miguel Albuquerque, "a maioria relativa, neste momento, é mau para o país" porque Portugal precisa de encontrar, no quadro parlamentar, "uma solução de estabilidade governativa, aliás o próprio Presidente da República a mencionou de uma forma expressa e clara" na sua declaração ao país.

"O que está em causa é a governabilidade, com governos minoritários e em situações de instabilidade, é muito difícil, por vezes, tomar medidas de fundo que ainda se vão impor para o futuro do país".


O ato eleitoral na Região Autónoma da Madeira prossegue com normalidade.