O cabeça de lista do PSD/Madeira às eleições legislativas regionais de 29 de março, Miguel Albuquerque, afirmou que dívida da Madeira é um problema que está em fase de resolução.

«Esse é um problema [dívida da Madeira} que será resolvido e está já a ser resolvido», disse o também candidato a presidente do Governo Regional aos jornalistas no decorrer de uma arruada que a candidatura efetuou esta quarta-feira no Funchal, que provocou uma onda laranja, composta por centenas de pessoas com bandeiras do partido que invadiram algumas artérias da cidade.

«O plano de ajustamento económico e financeiro finaliza em dezembro de 2015 e, neste momento, houve uma redução da dívida comercial, que era 20% do PIB, substancial» acrescentou Miguel Albuquerque quando instado a concretizar essa questão.

O candidato também comentou o resultado de uma sondagem divulgada hoje na região, da Antena 1/RTP /Universidade Católica, que dá maioria absoluta do PSD, com 49% dos votos, o que permitiria uma representação parlamentar entre 23 e 27 deputados. Na legislatura que agora termina o grupo social-democrata na Assembleia Legislativa (ALM) era composto por 25 elementos.

«Se forem esses os números, a maioria absoluta está garantida e tudo aponta que vamos no bom caminho», opinou Miguel Albuquerque, admitindo estar “muito satisfeito” com esta projeção, que considerou ser “um bom indicador”, numas eleições que têm sido “bem disputadas”.

Segundo Albuquerque, a projeção «aponta para aquilo que tem sido constatado no dia-a-dia. O PSD está com uma grande recetividade da população da Madeira e Porto Santo«.

O líder do PSD/M realçou que foi feita a «renovação no partido», salientando que este «está mobilizado» e se abriu à juventude, o que «vai ter resultados na votação».

Mas, assegurou que a candidatura vai continuar a trabalhar e a insistir para que as pessoas vão votar no próximo domingo.

O candidato admitiu estar disponível, mesmo alcançando a maioria absoluta, para viabilizar «acordos parlamentares transversais à direita e à esquerda» na defesa dos interesses primordiais da região em matérias como um novo quadro fiscal para a Madeira, mas, ressalvou não ser «favorável ao consenso pelo consenso».

Na multidão social-democrata que percorreu esta tarde a cidade a cidade participaram, entre as muitas figuras do partido, dois dos seus adversários na corrida à liderança do PSD, Miguel de Sousa e Sérgio Marques, vários elementos do atual de executivos anteriores, deputados entre centenas de militantes.

Albuquerque cumprimentou com beijos e apertos de mão centenas de pessoas ao longo do percurso de quase duas horas, que começou na zona da Rotunda do Infante, passou pela rua Fernão de Ornelas, Mercado dos Lavrados, Avenida do Mar, largo da Assembleia, terminando na praça do município, tirou fotos, ofereceu brindes de campanha e muitos sorrisos.