O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, disse esta sexta-feira, no encerramento do primeiro debate sobre o "Estado da Região", que o mesmo foi "histórico” na realidade parlamentar e autonómica.

“O debate permitiu um olhar global sobre os diversos setores da governação e não nos podem acusar de falta de ação", salientou, acrescentando que o Governo Regional "não vai vacilar nem fazer desvio às linhas de rumo traçadas".

Miguel Albuquerque exigiu aos partidos de esquerda - PS, PCP e BE - para que, no próximo orçamento que o Governo da República irá apresentar a Bruxelas depois do verão, "salvaguardem os interesses da Região".

"Exerçam as competências que têm no âmbito da República", afirmou.

No encerramento do debate do "Estado da Região", o deputado do PCP, Ricardo Lume, considerou que os últimos 15 meses de governação de Miguel Albuquerque representam "mais do mesmo".

"Estes últimos 15 meses do PSD dito renovado é tempo mais do que suficiente para demonstrar o desnorte deste Governo", salientou o deputado comunista, enquanto o independente Gil Canha considerou que o atual Governo Regional representa uma continuidade das políticas dos anteriores executivos de Alberto João Jardim e defendeu "a necessidade" de a Região se libertar "do silvado jardinista”.

José Manuel Coelho, do PTP, disse que o PSD "renovadinho" continua preso à oligarquia herdada do jardinismo" e Roberto Almada, do BE, frisou que, passados 15 meses, a Região "está pior que antes" e o atual Governo "não trouxe melhorias substanciais para os madeirenses e porto-santenses".

Por sua vez, o líder parlamentar do PS, Jaime Leandro, acusou o Governo de Miguel Albuquerque de "não cumprir as promessas" que fez ao eleitorado.

"É um saco de promessas que não é capaz de cumprir. Promete, mas não resolve", observou.

Élvio Sousa, do Juntos pelo Povo, lembrou que, passados 15 meses de governação, "as promessas do Governo foram proferidas na terra e não no mundo celestial" e Lopes da Fonseca, do CDS-PP, considerou que "um ano e meio de governação deu para perceber que este Governo também foi capturado pelos mesmos lobbies e grupos de interesse que dominam o PSD e o Governo há 40 anos".

Por último, o líder do Grupo Parlamentar do PSD, Jaime Filipe Ramos, realçou que o debate "deu para perceber o esforço do Governo Regional".

"No debate assistimos a uma oposição que apenas vê os problemas, mas não apresenta soluções alternativas credíveis", afirmou.