“Sempre dissemos que este processo de concessão, que é uma privatização dos transportes, era mau para o erário público e para os utentes e que a garantia do serviço público ficaria em causa. Ora, até pelo que aconteceu se demonstra que não havia qualquer estabilidade neste processo e que de facto ele ruiu por si próprio, nem sequer chegou à fase de colocar em prática a subconcessão”




faz cair a subconcessão por 10 anos