O Bloco de Esquerda (BE) disse hoje que o recuo «muito débil» na taxa de desemprego em Portugal é «desmentido pela realidade e pelas próprias previsões do Governo» para o ano de 2014.

«Se tivermos em linha de conta que o Governo propõe 17,4% para taxa de desemprego, verificamos que esta é uma descida menor», declarou a deputada bloquista Mariana Aiveca, lembrando que o executivo, na proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014, estima que o país termine 2013 com uma taxa de 17,4% de desempregados.

Mariana Aiveca atribuiu também parte da redução da taxa de desemprego hoje revelada pelo Eurostat ao número de portugueses que abandonaram o país para procurar emprego.

A taxa de desemprego em Portugal situou-se, em setembro, nos 16,3%, ligeiramente abaixo dos 16,5% registados em agosto e dos 16,4% verificados um ano antes, revelou hoje o Eurostat.

Apesar desta ligeira descida em termos mensais, Portugal mantém a quinta taxa de desemprego mais elevada da União Europeia, apenas atrás da Grécia (27,6%), da Espanha (26,6%), da Croácia (17,2%) e de Chipre (17,1%).

A taxa de desemprego em Portugal continua também bastante acima das médias europeias, já que, em setembro, a taxa na zona euro manteve-se estável face a agosto, nos 12,2%, tal como na União Europeia, nos 11%.