A presidente do PS defendeu este domingo à noite, em Alenquer, que é urgente o partido acabar de resolver a sua situação interna, para combater um «governo incompetente» e «acabar com o mal que tem sido feito aos portugueses».

«Temos de estar unidos e temos de rapidamente resolver a nossa situação interna até ao fim de novembro, para fazer do PS uma verdadeira alternativa de poder e o vencedor nas eleições de 2015 que, esperemos, cheguem o mais depressa possível, para evitar que este mal que tem sido feito aos portugueses, através de uma governação incompetente e incapaz de criar a esperança, termine o mais rapidamente possível», afirmou a presidente do PS, Maria de Belém Roseira.

Para a secretária-geral em exercício do partido, a resposta à crise em Portugal e nos países da União Europeia veio «agravar as desigualdades» sociais.

«Já não estamos a falar de um problema de desigualdade e de assimetria na distribuição de rendimentos, estamos a falar de um problema de imoralidade insustentável», sublinhou.

Neste sentido, defendeu que «os partidos socialistas têm de ser vozes audíveis no sentido de que se mude completamente o que tem sido a orientação política dominante, assente em doutrinas económicas que apenas agravam as desigualdades e rompem com a coesão social».

Maria de Belém Roseira discursava durante o tradicional jantar do 05 de Outubro, dia da Implantação da República, em Alenquer, com 250 militantes.