O dirigente do PS Marcos Sá apresenta hoje a sua demissão do cargo de diretor do jornal oficial deste partido, «Ação Socialista», e desejou os «maiores sucessos» ao vencedor das eleições primárias, António Costa.

Estas posições do ex-deputado e membro da Comissão Política do PS constam de uma carta que hoje envia ao presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, à qual a agência Lusa teve acesso.

«Sei que fui eleito [diretor do Ação Socialista] em 2011 pelos dirigentes nacionais do PS e reeleito em 2013 em sede de Comissão Nacional - e tenho plena consciência que apenas respondo perante este órgão do partido e a mais ninguém. Contudo, venceste as eleições primárias e, por esse motivo, considero que devo ser leal com a minha consciência e solidário com quem me convidou para exercer estas funções em nome do PS», justificou o dirigente socialista.

Marcos Sá salientou depois «a honra» por ter sido convidado para diretor do jornal oficial do PS pelo líder cessante, António José Seguro.

«Nessa altura, aceitei o desafio que me fez, porque acreditei convictamente na sua liderança e no seu projeto político. E só por essa razão continuei a apoiar o António José Seguro nas últimas eleições primárias», referiu na mesma carta.

Marcos Sá salienta, neste contexto, que decidira demitir-se caso o presidente da Câmara de Lisboa triunfasse nas eleições primárias, como aconteceu no domingo.

«A minha decisão já estava tomada: Demitir-me do "Acção Socialista" caso vencesses as eleições primárias, pois só assim seria leal e solidário, do princípio ao fim, com quem me convidou para o cargo em questão», acrescentou Marcos Sá na carta para António Costa.