O vice-presidente da bancada socialista Marcos Perestrello aproveitou esta quarta-feira a demissão do secretário de Estado Adjunto da Administração Interna para defender que existem razões políticas e de «defesa do interesse nacional» para outros membros do Governo se demitirem.

«Não conhecemos as razões da demissão, tanto quanto sabemos terão sido invocadas razões de natureza pessoal. Eu diria que os membros do Governo nunca se demitem pelas razões que os devem levar à demissão, que são os erros sistemáticos na governação, em áreas problemáticas da governação e quando se demitem parece que é só por razões pessoais», afirmou Marcos Perestrello.

À saída da reunião da conferência de líderes parlamentares, Perestrello disse que «se calhar havia mais razões de natureza política e defesa do interesse nacional que deviam levar outros membros do Governo à demissão».

O vice da bancada do PS não especificou a que membros do Governo se estava referir.

O secretário de Estado Adjunto da ministra da Administração Interna, Fernando Alexandre, pediu a demissão do cargo, confirmou à agência Lusa fonte oficial do ministério.

A notícia foi avançada pela rádio Antena 1, referindo que Fernando Alexandre alegou motivos pessoais para a demissão, mas a fonte do Ministério da Administração Interna não avança as razões da saída.

O economista e professor na Universidade do Minho Fernando Alexandre entrou para a equipa do ex-ministro da Administração Interna Miguel Macedo em abril de 2013.