A Câmara do Marco de Canaveses pagou em oito anos mais de 27 milhões de euros da dívida herdada do tempo em que Avelino Ferreira Torres presidia à autarquia, revelou esta terça-feira fonte do município.

De acordo com a autarquia, grande parte dos recursos financeiros têm sido canalizados para pagar o empréstimo de 45 milhões de euros contraído, em 2004, pelo anterior executivo, no âmbito de programa de reequilíbrio financeiro.

De acordo com Manuel Moreira, atual presidente da câmara, nos últimos oito anos, que correspondem aos dois anos de mandato que já cumpriu, foram pagos anualmente cerca de três milhões de euros.

Citado num comunicado, o autarca recordou que esse esforço tem diminuído a capacidade de investimento.

Esta tomada de posição ocorreu a propósito da aprovação das contas para 2014, as quais, disse, apesar dos constrangimentos, voltam a priorizar determinadas áreas, para além de manterem taxas e impostos elevados, como obriga o contrato de reequilíbrio financeiro.

As contas de 2014, já aprovadas pela câmara e pela assembleia municipal, preveem uma dotação global de 25 milhões de euros.

«As Grandes Opções do Plano e Orçamento para o ano de 2014 evidenciam a clara intenção deste executivo em prosseguir, de forma empenhada e determinada, a consolidação das finanças municipais com vista a assegurar a sustentabilidade financeira no longo prazo, para não comprometer mais as gerações futuras», considerou Manuel Moreira.

Para este ano, está anunciado um investimento de oito milhões de euros, em parte perspetivado em função dos projetos a comparticipar pelo próximo quadro comunitário de apoio, no âmbito de várias candidaturas