O porta-voz do PSD, Marco António Costa, afirmou que os números divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta segunda-feira comprovam a recuperação do crescimento económico e a redução do desemprego, considerando que, ao contrário dos outros que fazem promessas, o Governo apresenta resultados.

Em conferência de imprensa na sede distrital do PSD/Porto, Marco António Costa enfatizou que os valores do INE estão em linha com as previsões do Governo e "reforçam o sentimento de recuperação social e económica que Portugal está a trilhar".

"Contrariamente a outros que fazem promessas, aquilo que nós apresentamos são resultados que queremos garantir para o futuro", comparou, garantindo que a análise destes dados "não comporta nenhum triunfalismo".


Segundo a estimativa provisória divulgada esta segunda-feira pelo INE, a taxa de desemprego desceu 0,2 pontos percentuais em julho face a junho, para 12,1%, tendo também sido divulgado que a economia portuguesa cresceu 1,5% no segundo trimestre de 2015 face ao período homólogo e registou um crescimento em cadeia de 0,4%.

"Os dados estatísticos divulgados hoje pelo INE devem merecer a maior atenção pelo facto de comprovarem a recuperação do crescimento da economia portuguesa, mas também a redução sustentada do desemprego", afirmou o social-democrata.


Na opinião de Marco António Costa, "estes resultados positivos são um estímulo para que o Governo continue a realizar o trabalho, garantindo que o país sem aventureirismos continue a seguir este rumo seguro de crescimento económico, de redução sustentada do desemprego bem como de crescimento do emprego".

"A par do crescimento económico importa sublinhar a diminuição da taxa mensal de desemprego do mês de julho, quer em cadeia, quer em termos homólogos. Importa também salientar de uma taxa mensal de desemprego e por isso corrigida de sazonalidade."


Segundo o porta-voz do PSD, "face a julho de 2014 hoje temos menos 107 mil pessoas desempregadas, o que constitui um valor muito relevante do ponto de vista social".

"Continuam a existir muitos portugueses à procura de um posto de trabalho e essa deve ser a nossa preocupação central em toda a atividade política que o Governo está a realizar."


O social-democrata destacou ainda que "nos últimos 30 meses há uma redução sustentada do desemprego e um crescimento sustentado de emprego", uma vez que face a janeiro de 2013 "hoje há mais 233 mil pessoas empregadas".

Questionado sobre o facto de os dados revelarem que em relação à estimativa definitiva da população empregada manteve-se praticamente inalterada em junho em relação ao mês anterior, interrompendo acréscimos consecutivos verificados desde fevereiro de 2015, Marco António Costa recordou que "face ao início desta legislatura há menos 32 mil pessoas desempregadas do que em junho de 2011".

"Num balanço de legislatura há uma recuperação do emprego e uma diminuição sustentada do desemprego."

 

CDS: Descida do desemprego reflete maior confiança na economia 


O CDS-PP também já reagiu aos números divulgados, considerando que a descida da taxa de desemprego reflete a maior confiança na economia, que, desta forma, capta mais investimento gerador de postos de trabalho.

"Nós entendemos que estes números vêm reforçar a confiança e a esperança neste percurso que temos feito. Neste momento, o país tem os investidores, os empreendedores, mais confiantes na sua economia, com isso captam mais investimento e com esse investimento é possível combater a maior fratura social que é o desemprego", afirmou à agência Lusa o líder parlamentar do CDS, Nuno Magalhães.


Nuno Magalhães assinalou que o país "conseguiu num processo muito difícil de ajustamento, por força de políticas do anterior Governo, quatro anos volvidos ter números ao nível do desemprego que são os melhores de há vinte trimestres consecutivos".

"É uma recuperação consistente e sólida que nos permite reforçar a confiança e a esperança no caminho que temos percorrido."