O coordenador permanente da Comissão Política Nacional e porta-voz do PSD, Marco António Costa, disse este domingo em Paris que «o Partido Socialista vive envergonhado com as relações com o presidente francês, François Hollande».

«Eu julgo que o Partido Socialista hoje vive um bocadinho envergonhado com as relações com o senhor Hollande», disse Marco António Costa na sede da União para um Movimento Popular (UMP) o partido do ex-Presidente Nicolas Sarkozy.

«António José Seguro fez tanto alarido da sua presença na posse do senhor Hollande, agora parece que tem alguma repulsa em falar sobre a política que o senhor Hollande tem seguido e tem havido um recuo estratégico do Partido Socialista», disse o porta-voz do PSD à margem de uma reunião com militantes do PSD de Paris.

Questionado sobre a possibilidade de o PSD vir a apoiar a candidata do UMP a Paris nas eleições municipais francesas de 2014, da mesma forma que António Costa esteve na capital francesa a apoiar a candidata socialista Anne Hidalgo, Marco António Costa disse que não há nenhuma deslocação prevista de apoio à candidatura do UMP, e considera que «não há maior força» do que a da «comunidade e apoiantes vivamente empenhados em apoiar o UMP».

A visita do coordenador da Comissão Permanente do PSD a Paris, depois de uma deslocação ao Luxemburgo, termina hoje, com um jantar a convite da Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa, que segundo Marco António Costa tem um trabalho «muito ativo» e «dinâmico» e onde espera gerar a «empatia e sentimento de confiança» necessários para a aposta no investimento em Portugal.

A deslocação teve como objetivo perceber «todo o ambiente que a comunidade vive» e transmitir «uma imagem e uma mensagem relativamente ao trabalho que o Governo está a fazer em Portugal no momento em que os sinais positivos desse trabalho começam a ser evidentes», disse.