O porta-voz do PSD, Marco António Costa, disse esta quarta-feira que é «confortável para um português» saber que o país está melhor do que a Grécia, considerando que a «estratégia da oposição» colocaria o país na situação de Atenas.

«2015 será um ano marcado por factos inequivocamente positivos para os portugueses. Temos as taxas de juro mais baixas da nossa história, julgam que isso se conquistou com a estratégia da oposição? Olhem para a Grécia e vejam o que é que deu a estratégia da oposição», pediu o porta-voz do PSD, durante uma intervenção nas jornadas «Consolidação, Crescimento e Coesão», no Porto.


Marco António Costa disse que é bom saber-se que Portugal partiu do mesmo ponto que a Grécia, em 2011, e que hoje «os resultados estão à vista de qualquer cidadão».

«É muito confortável para um português saber que, em 2011, todos se preocupavam connosco, com Portugal e com a Grécia, e que hoje, juntamente com os outros, estamos só preocupados com a Grécia, porque nós deixamos de fazer parte do problema e somos só parte da solução», sublinhou o dirigente do PSD.


Também hoje, a dirigente e deputada do PSD Teresa Leal Coelho havia distinguido o contexto nacional da situação da Grécia, defendendo que Portugal virou a página no quadro europeu, e antevendo «mais agruras» para os gregos.

«Com total respeito pela decisão eleitoral dos nossos concidadãos gregos, quero aqui afirmar que o que nos separa das circunstâncias da Grécia é o facto de não termos feito o que o PS queria para Portugal», afirmou a vice-presidente do PSD, numa declaração política em plenário, acrescentando: «Foi por isso que virámos a página, e virámos a página no quadro europeu».

A bolsa de Atenas encerrou a perder 9,24% e os juros da dívida helénica dispararam mais de 10%, um dia depois da tomada de posse do novo Governo.

O índice de referência da bolsa helénica – Athex – recuou para os 711,3 pontos e o volume de transações ascendeu a 119,40 milhões de euros.

No mercado secundário, os títulos da dívida soberana a dez anos dispararam, pelas 16:00 em Lisboa, para os 10,357%, de acordo com a agência de informação financeira Bloomberg.