O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, respondeu esta quinta-feira aos que questionam o seu discurso de esperança e o apoio ao Governo afirmando que "o Presidente da República fica feliz quando corre bem ao país".

No final de um jantar na Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, o Presidente referiu que às vezes lhe perguntam "por que é que insiste tanto em ter esperança naquilo que existe e naqueles que são responsáveis pela governação" e deu a resposta: "Porque eu quero que eles tenham sucesso, porque o sucesso da governação de Portugal é o sucesso de Portugal".

Na presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, Marcelo Rebelo de Sousa deixou, contudo, um recado ao executivo do PS: "Espero que aquilo que foi prometido em relação a uma preocupação de incentivar investimentos no interior venha a corresponder à realidade. Foi um dos compromissos do senhor primeiro-ministro".

Antes, congratulou-se com o crescimento do turismo em Portugal.

Num discurso de cerca de dez minutos, o Presidente da República respondeu também, pela segunda vez no dia de hoje, àqueles que questionam a quantidade de iniciativas que tem tido desde que iniciou funções, a 09 de março.

Quando de vez em quando me perguntam - e a comunicação social gosta muito de perguntar - se não há o risco de aparecer muitas vezes, eu pergunto: como é que é possível estar próximo estando distante? Ou se está próximo ou não se está próximo", declarou.

Marcelo Rebelo de Sousa acrescentou que o seu compromisso "é a proximidade dos portugueses" e defendeu que isso "não é ficar no Palácio de Belém e de vez em quando aparecer aos portugueses".

O Presidente da República esteve desde as 20:30 até perto das 23:30 na Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, que apontou como "um exemplo de sucesso", encerrando assim o primeiro de três dias de visita ao interior alentejano.