Marcelo Rebelo de Sousa pediu esperança à população do interior e considerou que os fundos do Portugal 2020 são uma oportunidade única. O Presidente da República iniciou, esta quinta-feira, a sua visita ao Alentejo e discursou ao ar livre junto ao pelourinho da Praça do Município de Fronteira, no distrito de Portalegre, o primeiro ponto do itinerário da sua visita de três dias ao Alentejo.

Estou aqui, no interior. Começo por aqui para termos uma oportunidade para ir mais longe, para criarmos maior igualdade entre os portugueses, mas com esperança. Eu conto com a vossa esperança", declarou o chefe de Estado, perante dezenas de pessoas, muitas das quais crianças das escolas do município.

Numa intervenção de oito minutos, o Presidente da República defendeu que, para se inverter o despovoamento, o interior de Portugal "precisa de acessos" e "de investimento para apoiar o que se está a fazer". Neste contexto, apontou os fundos europeus do Portugal 2020 como "uma oportunidade única", afirmando: "Ninguém nos garante que depois do Portugal 2020 haja um Portugal 2024 ou 2025 comparável com esse, porque a União Europeia é muito grande, porque tem muitos problemas".

Portanto, ninguém garante que seja possível daqui a oito anos, dez anos, 12 anos, voltar a ter os fundos que estamos a começar a receber e vamos receber nos próximos anos. Agora, isto tem de ser um esforço de todas e todos", acrescentou.

O Presidente começou por explicar que esta sua deslocação ao interior do país se chama "Portugal Próximo" porque na campanha eleitoral se comprometeu a "estar junto das pessoas" e "ouvir os dramas, as alegrias, as ilusões, ouvir também as desilusões de todos". 

Depois, referiu que Fronteira perdeu quase metade da população nos últimos 50 anos e quase dez por cento entre 2001 e 2011 e defendeu que "é preciso fixar mais gente" no interior. É fundamental, senão, pouco a pouco, as terras vão-se esvaziando", enfatizou, apelando a "um esforço de todos, pegando naquilo que há".

Segundo o Presidente da República, "há tanta coisa ligada à agricultura, à pecuária, tanta coisa que se pode fazer na indústria ligada à agricultura", e também se pode "ir mais longe no turismo".

Temos aqui esta terra e outras tão bonitas, com tanto para dar, para atrair, situadas numa zona a meio caminho entre duas capitais, Lisboa e Madrid. É preciso ir mais longe", reforçou.

Marcelo Rebelo de Sousa exortou os portugueses a terem autoestima e combaterem o pessimismo. "Nós temos de acreditar em nós próprios. Nós somos um grande país. Nós fomos um grande país ao longo da nossa história e somos um grande país", disse. "Eu conto com a vossa esperança", acrescentou.