O Presidente da República voltou, nesta terça-feira, a recusar fazer qualquer comentário sobre o Orçamento do Estado para 2017, alegando que esse documento ainda terá de ser apresentado pelo Governo e depois discutido e votado no parlamento.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas após ter estado presente na cerimónia de inauguração do novo Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), que é propriedade da EDP, numa cerimónia em que também estiveram presentes o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa.

Então venho ver esta beleza [o novo MAAT] e estão a falar-me sobre o Orçamento do Estado", começou por responder Marcelo Rebelo de Sousa, usando um tom de humor.

Mais a sério, o chefe de Estado repetiu que só se pronunciará sobre o Orçamento do próximo ano "após ter sido apresentado" pelo Governo, "discutido e votado" pela Assembleia da República "e submetido a promulgação".

Até lá, não me vou pronunciar", vincou.

Ao longo da visita ao MAAT, também o primeiro-ministro, António Costa, foi questionado sobre a série de reuniões de trabalho que teve esta tarde em São Bento - reuniões que terão envolvido as direções do Bloco de Esquerda, do PCP e "Os Verdes" sobre o Orçamento do Estado para 2017.

Mas, perante os jornalistas, António Costa não abriu o jogo e limitou-se a dizer que teve uma tarde que "correu bem" em São Bento.