O secretário-geral do PCP considera inaceitável que o candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa "esconda" a sua vinculação ao PSD e também ao CDS-PP, partidos que apostam nele para "tirarem a desforra da derrota" das legislativas.

Num jantar com mais de duas centenas de apoiantes da candidatura de Edgar Silva, Jerónimo de Sousa começou por considerar que, à semelhança do PCP, "PSD e CDS também têm candidato, não querendo parecer que têm", cita a Lusa.

"Não é aceitável que se procure iludir e esconder a vinculação de Marcelo Rebelo de Sousa ao PSD. Já foi presidente do partido, foi conselheiro de Cavaco Silva, foi deputado, foi autarca, sempre do PSD".


Para Jerónimo de Sousa, PSD e CDS-PP "apostam" em Marcelo Rebelo de Sousa para "tirar a desforra da derrota que sofreram em outubro, é nele que veem um instrumento para recuperarem a sua agenda de destruição de direitos, de exploração, de empobrecimento e de infernizar o nosso povo".

Numa noite em que, enquanto discursava, caíram dois apoiantes da cadeira, em momentos em que o comunista falava do atual Presidente da República, Cavaco Silva, e do PSD, Jerónimo de Sousa terminou o discurso a manifestar a esperança de que, não havendo coincidências e não existindo duas sem três, Marcelo Rebelo de Sousa possa vir a perder as eleições e cair assim da cadeira do poder.

Para Jerónimo de Sousa, é necessário contrariar a tendência de "resignação" de que a vitória de Marcelo Rebelo de Sousa está garantida e trabalhar para Edgar Silva chegar à segunda volta das eleições presidenciais.