O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou a morte do antigo ministro das Finanças Medina Carreira, na segunda-feira aos 86 anos, destacando que “Portugal perdeu um homem corajoso e pensamento livre”.

Num nota divulgada no ‘site’ da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que “Henrique Medina Carreira foi ministro das Finanças em momentos difíceis, mas a sua visão crítica perdurou como comentador, professor, escritor, cidadão inconformado - noutros momentos igualmente complexos destas quatro décadas de Democracia”.

Pessimista para alguns, realista para outros, todos decerto estaremos gratos pela sua frontalidade, exigência e atitude de rigor - que faz falta em qualquer sociedade”, destacou o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou também que os “polémicos avisos na área económica ficarão na memória dos portugueses, num momento que é de profundo pesar e respeito pela sua memória”.

Henrique Medina Carreira, antigo ministro das Finanças do I Governo Constitucional, morreu na segunda-feira num hospital em Lisboa, onde estava internado há cerca de um mês.

Nascido em Bissau em 14 de janeiro de 1931, Henrique Medina Carreira era nos últimos anos uma das vozes mais acutilantes em relação às opções políticas e em particular à estratégia financeira do país, que governou no I Governo Constitucional.

O primeiro-ministro, António Costa, também já reagiu à morte de Medina Carreira: "Perdi um amigo que herdei do meu pai".

Já o ministro das Finanças salientou a “coragem” que o economista demonstrou ao “assumir a pasta das finanças num momento que se sabia difícil para o país”.