O secretário-geral do PCP considerou esta terça-feira que o Presidente da República mostrou "grande capacidade de iniciativa" nos primeiros 100 dias do mandato e que Marcelo Rebelo de Sousa "optou" por uma política de não "conflitualidade" com o Governo.

Em Braga, à margem de uma visita a uma exploração leiteira, Jerónimo de Sousa, questionado sobre os primeiros 100 dias do mandato do Presidente da República, alertou ser ainda "prematuro" qualquer balanço sobre o desempenho de Marcelo Rebelo de Sousa.

"100 dias é um tempo muito curto para fazer avaliações. [Marcelo Rebelo de Sousa teve] sempre com grande capacidade de iniciativa, sem grande conflitualidade com o Governo, é uma opção do Presidente do República", disse. "Mas é prematuro qualquer balanço. Veremos", finalizou.

Sobre a descrição que Marcelo Rebelo de Sousa fez sobre o primeiro-ministro apelidando António Costa de "hiper-otimista", o líder do PCP comentou que "quem não estiver preocupado está distraído", mas afirmou estar também otimista.

"Temos uma situação económica que não é boa, mas com estas preocupações também simultaneamente há um sentimento de confiança de que é possível sairmos desta situação", disse.

Quanto ao setor leiteiro, o líder comunista salientou ser "fundamental" controlar as importações.

"É importante o controlo das importações, estamos a ser invadidos por produtores que produzem financiados pelos respetivos governos que põem aqui o seu produto mais barato. Esse controle das importações é fundamental", defendeu.