Marcelo Rebelo de Sousa foi à Madeira testemunhar a "solidariedade e o conforto amigo de todos os portugueses", depois da queda de uma árvore ter causado vários mortos e feridos na freguesia do Monte, no Funchal. 

Acabei de testemunhar a solidariedade ao presidente do governo regional a solidariedade e o conforto amigo de todos os portugueses e é isso que significa a minha vinda cá, mal soube, porque estamos solidários nesta provação vivida pelos madeirenses", afirmou o Presidente da República.

O Presidente da República interrompeu as férias e viajou até ao Funchal, onde se reuniu com o presidente do governo regional, Miguel Albuquerque.

Em declarações aos jornalistas, sublinhou que este é "o tempo da dor" e não o de apurar responsabilidades sobre o que aconteceu.

Há um tempo para tudo. Este tempo ainda é o tempo da dor", frisou.

O chefe de Estado frisou que o facto de a queda da árvore ter acontecido durante um "cerimónia partilhada em termos comunitários, isso adensa ainda mais o dramatismo da situação".

"Este é um momento de dor e o que importa é testemunhar a solidariedade e estar junto daqueles que sofrem."

A queda de uma árvore de grande porte durante a romaria de Nossa Senhora do Monte, no Funchal, Madeira, provocou esta terça-feira 13 mortos e 50 feridos. O momento em que a árvore caiu foi transmitido em direito no Facebook.

O governo regional decretou três dias de luto nacional.

Há muito que os moradores da freguesia do Monte se queixavam da instabilidade da árvore. De resto, em março deste ano, já tinha caído um galho de grande porte no mesmo local, que, apenas por sorte, não atingiu ninguém.