"Espero que a abstenção baixe, nomeadamente em relação à última, que foi uma reeleição e normalmente nas reeleições a abstenção é sempre maior que numa primeira eleição. Espero que baixe dos 53% que teve na última reeleição e que fique próximo ou não muito distante da votação que houve nas últimas legislativas", disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas.




"Estou serenamente confiante, nem com grandes euforias, nem com grandes preocupações", afirmou, escusando-se a responder a questões sobre uma eventual segunda volta porque isso "já está nos limites daquilo que se pode dizer".








"Mas então veio do Brasil? A sério? Você bem dizia que tinha votado ontem", disse, depois de abraçar o filho.


Marcelo Rebelo de Sousa com o filho Nuno (Foto Lusa)





"O meu dia é muito simples. Vou agora almoçar rapidamente, depois vou a conduzir para Lisboa, agora tenho que ir com o filho ao lado para ele me explicar o que é que se passa com os netos. Depois vou a casa arranjar-me e depois ainda não sei bem se sigo de casa para a sede da candidatura ou se sigo diretamente para o local onde será passada a noite eleitoral", descreveu.



Para participação nas redes sociais a hashtag a usar é #presidenciaistvi24 


aqui.