O candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa espera que haja hoje "uma taxa de participação muito significativa" dos portugueses nas eleições e que a abstenção baixe dos 53% das últimas presidenciais, mostrando-se "serenamente confiante".

"Espero que a abstenção baixe, nomeadamente em relação à última, que foi uma reeleição e normalmente nas reeleições a abstenção é sempre maior que numa primeira eleição. Espero que baixe dos 53% que teve na última reeleição e que fique próximo ou não muito distante da votação que houve nas últimas legislativas", disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas.


O candidato votou em Molares, Celorico de Basto, onde teve a surpresa da presença do filho Nuno, que veio do Brasil para estar com o pai no dia das eleições.

Marcelo Rebelo de Sousa disse-se "esperançado que haja uma taxa de participação muito significativa" e que "o dia é bom e está lindo", não havendo por isso "razão para os portugueses não votarem".

"Estou serenamente confiante, nem com grandes euforias, nem com grandes preocupações", afirmou, escusando-se a responder a questões sobre uma eventual segunda volta porque isso "já está nos limites daquilo que se pode dizer".


Sobre o facto de afluência às urnas ser, às 13:00, superior às eleições presidenciais de 2011, Marcelo disse: "Isso é boa notícia. Vem confirmar a minha teoria de que em eleições há uma percentagem de participação superior a reeleições e podemos ficar aquém dos 50%. Era bom", como reporta a Lusa.

Questionado sobre se a campanha contribuiu para que a abstenção desça, o antigo comentador político considerou que esta "foi genericamente serena, a seguir a um longo período eleitoral".

"Uma campanha que acabou por interessar as pessoas sobretudo na parte de campanha propriamente dita, foram os últimos 12 dias", considerou.

O candidato presidencial chegou à secção de voto número três da União de Freguesias de União das Freguesias de Veade, Gagos e Molares, em Celorico de Basto, a conduzir o seu carro e acompanhado por dois assessores, quando foi surpreendido pelo filho Nuno e disse: "esta minha família aparece nos sítios mais incríveis".

"Mas então veio do Brasil? A sério? Você bem dizia que tinha votado ontem", disse, depois de abraçar o filho.


Marcelo Rebelo de Sousa com o filho Nuno (Foto Lusa)


Afirmando que "isso era uma ideia fixa", Marcelo pediu a Nuno que esperasse: "agora espere aí que eu vou ter que votar. Você já votou. A Sofia [a outra filha] também me disse que já votou".

Depois de cumprimentar e falar com algumas das pessoas que estavam na pacata freguesia, o candidato presidencial depositou o voto na urna, eram 13:02, para prestar depois declarações aos jornalistas.


"O meu dia é muito simples. Vou agora almoçar rapidamente, depois vou a conduzir para Lisboa, agora tenho que ir com o filho ao lado para ele me explicar o que é que se passa com os netos. Depois vou a casa arranjar-me e depois ainda não sei bem se sigo de casa para a sede da candidatura ou se sigo diretamente para o local onde será passada a noite eleitoral", descreveu.



Para participação nas redes sociais a hashtag a usar é #presidenciaistvi24 
 
 
Siga a eleição do novo Presidente à República, ao minuto, aqui.