O antigo primeiro-ministro José Sócrates esteve presente na inauguração do Espaço Torga, em São Martinho de Anta, Sabrosa, projeto que impulsionou enquanto chefe de Governo (2005-2011).

O espaço que homenageia o escritor e que foi projetado pelo arquiteto Souto Moura e foi oficialmente inaugurado esta segunda-feira, numa cerimónia presidida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Este edifício, construído na terra natal de Miguel Torga, contou com o apoio pessoal de José Sócrates que, por isso, foi convidado pelo presidente da câmara local, José Marques, para esta inauguração.

O antigo primeiro-ministro José Sócrates disse que se associou à inauguração do Espaço Torga pelo simbolismo da homenagem ao "grande poeta" e pelo reconhecimento da autarquia ao Governo que liderou e ajudou a concretizar o projeto. Sócrates aceitou o convite "simpático" e que o deixou "sensibilizado" do presidente da Câmara de Sabrosa, José Marques.

José Sócrates explicou que o aceitou o convite pelo "simbolismo" da homenagem ao "grande poeta" que "escreveu de forma mais bela" sobre Trás-os-Montes. 

Depois, Sócrates destacou o reconhecimento que este convite representa para Governo que liderou, já que, enquanto primeiro-ministro, ajudou a impulsionar o projeto que foi projetado por Eduardo Souto Moura e abriu portas em finais de 2013.

Significa "o reconhecimento por parte da câmara de que o Governo que eu liderei esteve ligado e ajudou a que esta obra se pudesse fazer para benefício de Trás-os-Montes e homenagem a um grande poeta português", frisou.

José Sócrates disse ainda que hoje é um "momento especial" para si e lembrou que Miguel Torga, que aprendeu a gostar com o seu pai, esteve presente em muitos dos seus discursos".

O antigo primeiro-ministro saudou ainda o Presidente da República por se associar a esta inauguração. No entanto, durante a primeira parte da visita ao edifício, que Marcelo fez na companhia da filha do escritor Clara Rocha, o Presidente e o ex governante não se cruzaram.

Marcelo arrancou hoje com a segunda ‘edição' da iniciativa "Portugal Próximo" que, até quarta-feira, o vai levar aos distritos de Vila Real, Bragança e Guarda.

 

Marcelo defende que fica bem gratidão a Sócrates 

O Presidente da República defendeu que “fica bem gratidão” para com os que contribuíram para obras no país, como o antigo primeiro-ministro José Sócrates, que acabou por cumprimentar, em Trás-os-Montes.

Os dois acabaram por se cruzar e cumprimentar depois dos discursos oficiais, durante os quais o Presidente da República começou por dizer ao autarca local que “fica-lhe muito bem ter gratidão em relação àqueles que, ao longo do tempo, contribuíram para” que o espaço em memória do escritor transmontano Miguel Torga fosse possível.

Marcelo Rebelo de Sousa já tinha dito antes aos jornalistas que se tivesse oportunidade de cumprimentar José Sócrates o faria, questionando a razão por que “não haveria de registar aquilo que foi o contributo do Governo a que ele presidiu para esta obra”.

Eu acho que as pessoas não podem, nem devem, e o Presidente da República menos que todos, não podem ser facciosos. Ao longo do tempo muita gente contribuiu para certas obras e o reconhecer que contribuíram para certas obras é uma questão de justiça”, defendeu.

Marcelo concluiu salientando que “não há que discriminar uns em relação aos outros”.

A cerimónia oficial de inauguração do Espaço Torga, construído na terra natal do escritor, São Martinho de Anta, ocorreu alguns meses depois de já se encontrar em funcionamento. O espaço mostra a vida do escritor transmontano que para o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, “retratou Portugal como ninguém”.

Marcelo lembrou que não foi por acaso que no discurso de posse escolheu o poeta que escreveu: “há dois ‘Portugais’, o da cultura erudita e o da cultura popular, que é aquele a quem devemos mais”, na opinião do presidente.

O chefe de Estado realçou que o que o poeta transmontano escreveu “corresponde muito à visão que o presidente tem do país”.