O candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa defendeu esta quarta-feira, em Bruxelas, que, também a nível económico, é “fundamental a conclusão da formação do Governo”, para prevenir o risco de “interrupções económicas e financeiras”.

“Eu penso que todos nós temos a noção de que é fundamental para Portugal que não haja interrupções económicas e financeiras num percurso que se espera positivo. E para isso, o Orçamento de Estado é fundamental; e para isso, naturalmente que a conclusão deste processo de formação de Governo também é fundamental”, disse, à saída de um encontro com o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, “é importante que Portugal não possa neste momento ter fatores que ponham em causa aquilo que foi um processo de recuperação financeira que se espera que se vire em mais crescimento económico e emprego”.

Questionado sobre se discorda então das palavras do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, que na véspera sustentou que há hoje em Portugal uma “almofada financeira de dimensão substancial" que permite não haver preocupações com a atual situação política, Marcelo Rebelo de Sousa disse não querer “entrar em polémicas, muito menos aqui em Bruxelas, relativamente ao que se passa neste momento em Portugal”.

Também sobre um alegado mal-estar no PSD e no CDS-PP relativamente às suas posições quanto ao processo de formação de Governo e de estar a “aproximar-se” à esquerda, o candidato escusou-se a alimentar o que classificou como “fait-divers”.

“Sabe, eu tenho impressão que há coisas importantes na vida e coisas que não são. Importante na vida eu acho é o facto de o presidente Martin Schulz e eu próprio estarmos em sintonia sobre o empenhamento de Portugal na Europa. Isso é importante, porque é consistente, estável e duradouro. O resto são ‘fait-divers’”, observou.

Ainda sobre o encontro com o presidente da assembleia europeia, que o recebeu “de uma forma muito simpática” num breve encontro, Marcelo Rebelo de Sousa destacou a "sintonia de pontos de vista" entre ambos.

“Eu tive a ocasião de lhe dizer aquilo que é óbvio, que é: Portugal, e a esmagadora maioria dos Portugueses, são pró-europeus, são pró-Euro, defendem uma Europa forte, uma visão reformista da Europa, uma Europa social, uma Europa que cresça, que crie emprego, que esteja próxima das pessoas, e encontrei uma sintonia de pontos de vista muito grande com o presidente Martin Schulz, sobre a Europa e sobre a forma como Portugal desempenha o seu papel na Europa, e isso é muito positivo”, sintetizou.

À saída do encontro com Schulz, Marcelo Rebelo de Sousa, que participa hoje num evento em Bruxelas, onde dará uma palestra sobre “Portugal e a Europa”, cruzou-se com a eurodeputada Marisa Matias, a candidata do Bloco de Esquerda à Presidência da República, tendo ambos trocado algumas palavras, até porque não se conheciam pessoalmente até agora, observaram ambos.