Marcelo Rebelo de Sousa advertiu esta terça-feira que um candidato presidencial não é um candidato à liderança de um "partido ou de uma coligação ou fação" e sustentou que as grandes obras resultam da confluência de vontades.

No final de uma visita à Associação de Proteção à Criança, Marcelo Rebelo de Sousa disse que a instituição nasceu há 40 anos da convergência de pessoas de "várias orientações políticas, partidárias e religiosas" que mostraram que "os partidos são muito importantes mas não esgotam a realidade nacional" e que as "grandes obras sociais resultam de uma confluência".

"Isto é muito importante quando se trata de um candidato presidencial porque um Presidente da República não é o presidente de um partido, fação ou coligação e um candidato presidencial não é candidato à liderança de um partido nem de uma coligação nem de uma fação", defendeu.

O candidato disse ter retirado outra "lição" da sua visita à instituição, que apoia no total dos seus polos locais e valências: "é que nós, em teoria, saímos da crise, mas, na prática, pude verificar ainda hoje [que] há sinais de permanência da crise e, por isso, é uma prioridade a questão social".

Marcelo Rebelo de Sousa acrescentou que vê "com alegria o facto de setores muito diferentes da sociedade, no meio das divergências políticas todas", estarem de acordo em dar "prioridade à questão social".

"Continuam a existir muitas famílias que têm as maiores dificuldades em pagar" as mensalidades das creches, disse, observando, por outro lado, que "há um aperto" nas instituições que prestam estes serviços que "não pode deixar de preocupar quem está a pensar em termos sociais no futuro do país".

Para Marcelo Rebelo de Sousa, na "situação de emergência social" pela qual o país passou "nos últimos dois anos e meio", se não fossem "instituições como a APAC [Associação de Proteção à Criança], o tecido social tinha-se deslaçado muito mais do que se deslaçou".

Marcelo Rebelo de Sousa visitou o polo da Póvoa de Santa Iria da APAC, que recebe 80 bebés e crianças na valência de creche e acabou por aceitar almoçar com algumas das crianças, a convite do presidente da instituição, agraciada com a Ordem do Mérito no passado dia 29 de abril pelo Presidente da República, Cavaco Silva.