O ex-líder do PSD Marcelo Rebelo de Sousa admitiu esta quarta-feira que a decisão do primeiro-ministro de cancelar a deslocação ao Brasil, prevista para a próxima semana, pode estar relacionada com a «expetativa» de executar a decisão do Tribunal Constitucional.

«Só agora tive conhecimento, provavelmente a ideia de ter de tomar decisões nos próximos dias ou nas próximas semanas, como sejam as medidas económicas e financeiras, nomeadamente orçamentais, decorrentes desta decisão do Tribunal Constitucional», disse o comentador político, nesta quarta-feira, à margem de um debate que hoje decorreu em Lisboa, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, sob o lema «Portugal e a União Europeia».

«À primeira vista, diria que é apenas a expetativa de executar a decisão do Tribunal Constitucional, mas vamos esperar para ver», precisou Marcelo Rebelo de Sousa, citado pela agência Lusa.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, cancelou hoje a sua deslocação ao Brasil, prevista para entre 12 e 16 de junho, devido «ao novo quadro aberto» pelo acórdão proferido pelo Tribunal Constitucional e à necessidade de superar esta situação.

«O primeiro-ministro decidiu, tendo em conta o novo quadro aberto pelo acórdão proferido pelo Tribunal Constitucional e a necessidade de responder às exigências complexas de superação da situação, cancelar a sua programada visita ao Brasil, que decorreria de 12 a 16 de junho», refere uma nota enviada à Lusa pelo gabinete do chefe do Governo.