“As autárquicas são mais importantes na minha opinião do que as presidenciais. Aquilo que eu peço é que não se deixe de pensar nas eleições autárquicas e que se comece desde já a definir quem serão os candidatos e não deixar tudo para a última hora”, apontou o ex-líder social-democrata.

Marcelo Rebelo de Sousa, que falava esta noite em Vila Franca de Xira num debate organizado pelo PSD local sobre os desafios de estar na oposição, não quis revelar se irá entrar na corrida às presidenciais do próximo ano, referindo, contudo, que estas não pode ser encaradas como uma segunda volta das legislativas.

“É outro filme [as eleições presidenciais]. Não dá para corrigir nas presidenciais o resultado das legislativas”, afirmou, acrescentando que o futuro Presidente da República “deve ser um presidente dos afetos e dos consensos e não ter funções executivas”, ressalvou.

Presente no debate esteve também o presidente da Câmara Municipal de Cascais e vice-presidente da comissão política nacional do PSD, Carlos Carreiras, que teceu no seu discurso críticas ao secretário-geral do PS e candidato a primeiro-ministro, António Costa.

“Insistir nos erros do passado não é só gerador de desconfiança como não é inteligente. Quem está na oposição não pode defender políticas quando não tem convicção de que estas possam ser concretizáveis quando se chegar ao Governo”, concluiu.