O Presidente da República considerou que há "muito boas notícias" sobre o défice das contas públicas portuguesas, mas não quis fazer comentários adicionais sobre o tema estando no estrangeiro.

No estrangeiro, mesmo quando se trata de boas notícias - muito boas notícias -, eu tenho por princípio não comentar", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, em resposta aos jornalistas, na cidade do Mindelo, na ilha de São Vicente, em Cabo Verde.

"Não comento nem as más nem as boas notícias. Essa é muito boa notícia, mas não devo comentar", reforçou o chefe de Estado.

O Presidente da República tinha sido questionado sobre o relatório do Conselho de Finanças Públicas hoje divulgado, especificamente sobre a conclusão de que o "o maior contributo" para a redução do défice para 2,1% em 2016 veio da redução da despesa.

De acordo com a instituição liderada pela economista Teodora Cardoso, 83% da redução do défice das administrações públicas foi conseguida pela queda da despesa, "ao contrário do previsto na generalidade dos documentos de programação orçamental".

Marcelo Rebelo de Sousa foi também questionado sobre o processo de escolha do próximo presidente do Eurogrupo, assunto sobre o qual nada quis dizer.

"Em visitas ao estrangeiro não comento o que se passa em Lisboa", justificou, acrescentando: "Eu aqui não tenho nenhuma preocupação que não seja a de aproveitar cada dia intensamente, porque é uma oportunidade única esta visita".