“Penso que todos os que se candidataram a candidatos acreditam, no fundo, no mais secreto do seu coração, que têm uma hipótese de vitória, senão não se candidatavam. O que seria natural é que todo o candidato dissesse ‘eu candidato-me para ganhar’ e o que seria anormal é que houvesse um candidato que dissesse eu ‘candidato-me para perder’”, afirmou Marcelo de Rebelo de Sousa.




declarações do líder do PSD

“Eu já tive ocasião de dizer que a minha candidatura é independente, está aberta a todos os apoios que venham a surgir ou não, não pede apoios e, portanto, não me cabe a mim decidir aquilo que partidos, movimentos, grupos, pessoas pensem acerca das presidenciais e dos apoios que devem dar ou não”, referiu.






“Eu fazia a análise num contexto de uma realidade e eu hoje estou a olhar para as sondagens que retratam outra realidade”, justificou, quando questionado sobre o que mudou.